IV. Skinner

o comportamento operante


Partindo dos mesmos pressupostos epistemológicos de Watson, o modelo de Skinner adota o associacionismo de Thorndike como base de suas formulações psicológicas do comportamento, às quais são marcadas pela preocupação com a aprendizagem. A lei do efeito é apropriada por Skinner para definir o comportamento operante, constituído por associações estímulo-reforço (positivo ou negativo) às respostas de um sujeito. Suas formulações resultaram na "instrução programada" e no "ensino melhorada" (utilizando o computador). (Fadiman e Frager, , cap. 7). Por outro lado, suas formulações fundamentam muitas análises sobre a mensagem dos meios de comunicação de msassa, especialmentea publicitária. (Guareschi, cap. II)




    A punição

      A punição é diferente do reforço negativo. Em termos conceituais, a punição se refere a um desprazer (estímulo) que se faz presente após um determinado comportamento não pretendido por aquele que a aplica, enquanto que o reforço negativo se caracteriza pela ausência (retirada) do desprazer após a ocorrência de um comportamento pretendido por aquele que o promove. Skinner ilustra assim o aspecto anti-pedagógico da punição:

    • "O pai reclama do filho até que cumpra uma tarefa: ao cumpri-la, o filho escapa às reclamações (reforçando o comportamento do pai). ...Um professor ameaça seus alunos de castigos corporais ou de reprovação, até quem resolvam prestar atenção à aula; se obedecerem estarão afastando a ameaça de castigo (e reforçam seu emprego pelo professor). De um ou outra forma, o controle adverso intencional é o padrão de quase todo o ajustamento social - na ética, na religião, no governo, na economia, na educação, na psicoterapia e na vida familiar(Skinner, 1971, pp. 26-27)

    A punição, neste sentido, não modifica o comportamento de quem a promove, nem - a longo prazo - de quem a recebe (por exemplo, a punição de ser preso não modifica o comportamento anteriormente condicionado e operante do punido).

Ilustrações
REFORÇO POSITIVO REFORÇO NEGATIVO PUNIÇÃO
alimentos para um sujeito dados após ele responder com determinado comportamento pretendido choques elétricos que cessam após o sujeito responder com um determinado comportamento pretendido choques elétricos aplicados após um comportamento não pretendido

    O condicionamento operante

    a) o condicionamento operante se refere aos estímulos que seguem a resposta, isto é posterior a ela, ao contrário do condicionamento respondente (ver Watson) em que o estímulo antecende a resposta;

    c) o condicionamento operante permite modelar um determinado comportamento pretendido através da administração dos reforços;

    b) há várias formas de modelagem através do condicionamento operante:

    c) o sujeito possui um repertório de condicionamento operante, o qual em grande podem ter sido gerados em situações incontigentes.

Tipos de programas experimentais
programa incontigente -> comportamento supersticioso administração de reforços de forma temporal e espacial aleatória gera respostas também aleatória por parte do sujeito
programa contigentes administração de reforços frequenciais de forma temporal e espacial definida gera respostas também previsíveis por parte do sujeito


    A proposta psico-pedagógica de Skinner

  • apresentações das informações em pequenas etapas (para que possa haver controle de cada avanço da aprendizagem)

  • exigência de participação ativa do aluno (resposta) através de um sistema de avaliação ancorado na reprodução da resposta (o que significa a oposição de Skinner aos sistemas de escolha múltipla, sugeridos por Crowder e Pressey)

  • reforço imediato à resposta, no sentido de um feedback indicando acerto ou erro

  • autocontrole por parte do aluno (isto é, o aluno que responde corretamente às questões pode passar a módulos posteriores)


    A mensagem: a promessa de reforços

  • a sistematimatização feita por Skinner permite compreender a força da publicidade sob o prisma da promessa de reforço, subjacente às suas mensagens;

  • por um lado, a promessa de reforço negativo, caso o receptor passe a consumir determinada marca/produto, na medida em que uma determinada situação de insatistação cessa;

  • por outro lado, a promessa de reforço positivo, caso o receptor passe a consumir determinada marca/produto, na medida em que terá novas satistações (mulheres, praias, conforto, corpo atlético, etc...);

  • eventualmente, a publicidade remete ao produto concorrente como aquele que mantém a insatisfação;

  • em todos os casos, o reforço é uma promessa e como tal é uma possibilidade não materializada.


I. A teoria do reflexo Pavlov

II. O behaviorismo de John Watson

III. A lei dos efeitos de Thorndike

V. Behaviorismo e instrução programada


Início | banco de conhecimento | empíricos | exercícios | construções | interações
ferreira@netu.unisinos.br
Editado em 07.ago.97. Modificado em 15.agos.97